02/03/2021

Quebra de acordo: não paguei a dívida negociada, e agora?

A negociação de dívidas é uma ótima alternativa para quem não está conseguindo colocar as contas em dia. Porém, o acordo precisa ser feito com cuidado e planejamento.

Imagine que você negociou a sua dívida, tudo estava indo bem, você estava prestes a quitar ela. Mas algo deu errado, você deixou de pagar e aconteceu quebra de acordo. E agora?

Nós vamos te explicar as possíveis causas para seu acordo ter sido cancelado, assim como o que acontece e o que fazer em cada caso.

Como funciona uma negociação de dívidas?

A negociação de dívidas é um acordo feito direto com o credor ou com empresas como a QuiteJá para determinar novos valores, novos prazos e novas taxas de juros para a sua dívida em atraso.

Esse contrato estabelece novas regras para pagamento, podendo ser à vista ou parcelado. Além disso, pode haver descontos sobre os juros acumulados e o saldo devedor deixa de aumentar.

Sem falar que após pagar o valor total da negociação ou a primeira parcela, seu nome estará limpo em até 5 dias úteis. Mas atenção, pois se trata de um contrato. Qualquer atraso no pagamento pode trazer consequências e possível quebra de acordo.

Garanta até 90% de desconto na sua negociação de dívidas

O que é a quebra de acordo?

A quebra do acordo de uma negociação de dívidas ocorre quando o pagamento não é identificado dentro do prazo de tolerância do credor. As condições de pagamento do contrato deixam de valer e os juros e multas iniciais voltam a ser cobrados. É como voltar à estaca zero.

O que causa a quebra de acordo de uma negociação?

Já explicamos que a quebra do acordo acontece se o credor não recebe o pagamento, mas isso pode acontecer por três motivos. Vamos te explicar quais são eles e como agir em cada um dos casos.

Não pagar o acordo

Se vocẽ não fez o pagamento do seu acordo ou pagou depois do prazo de tolerância estabelecido pelo seu credor, o acordo está sujeito a cancelamento e tudo que foi pago é debitado do valor original da sua dívida, e não do valor acordado.

Nesses casos, não há como voltar com o contrato feito, ele é definitivamente quebrado. Continue acompanhando o texto para saber as consequências disso e o que fazer.

Pagamento não identificado

Pode acontecer de você pagar o seu acordo em dia ou muito próximo do prazo de tolerância de cancelamento e o pagamento não ser identificado

Se dentro de 5 dias úteis você não receber a confirmação do pagamento do seu acordo, entre em contato com a QuiteJá pelo e-mail atendimento@quiteja.com.br enviando seu comprovante para verificação.

Se o pagamento dentro do prazo for identificado, o erro é corrigido e seu acordo é remontado para você dar continuidade nele.

Pedido de cancelamento

Nos primeiros 7 dias do seu acordo ou enquanto não houver sido feito nenhum pagamento, os credores permitem o cancelamento do acordo caso você queira desistir da sua negociação.

Mas saiba que pedir a quebra de um acordo pode ter consequências parecidas com o não pagamento, por isso sempre faça sua negociação consciente da sua capacidade de pagamento.

Com quantos dias de atraso um acordo é quebrado?

Depende. Cada credor tem o seu prazo de tolerância para pagamento em atraso, além das possíveis diferenças de prazo entre a entrada e parcelas do acordo. Por isso, caso algo tenha saído do planejado e você sabe que vai ter que atrasar o pagamento, confirme com a QuiteJá quanto tempo você pode atrasar o pagamento para não perder a sua negociação.

O que acontece se eu quebrar um acordo?

Ok, meu acordo foi cancelado e não é possível retomar ele, o que acontece? Aqui listamos as principais consequências da quebra do contrato.

O nome volta a ficar negativado

Mesmo durante o seu acordo, qualquer atraso pode ter como consequência a reinserção do seu nome na lista de negativados do Serasa, SPC ou Boa Vista SCPC.

Com a quebra do contrato, a inadimplência e todos seus efeitos negativos voltam, como a dificuldade de abrir uma conta-corrente, adquirir um cartão de crédito ou ter um empréstimo aprovado.

Seu Cadastro Positivo é afetado

O Cadastro Positivo, ao contrário do negativo, é importante para que as empresas vejam seu comportamento financeiro positivo, ou seja, as contas em dia, os acordos de negociação e assim por diante. 

Se você ainda não tem seu cadastro, faça ele, pois pode te ajudar a retomar a confiança do mercado.

Porém, ao quebrar seu acordo, esse cadastro positivo é afetado, pois vai constar que você não cumpriu com o seu pagamento.

Perda de descontos e condições de pagamento

Perda de descontos depois da quebra de acordo

A quebra do acordo gera uma quebra de confiança com o seu credor. Vocês tinham feito um acordo de quitação que beneficiava as duas partes e o pagamento não foi feito, então infelizmente isso pode afetar uma nova tentativa de negociação.

Se o seu contrato foi cancelado, é provável que você perca descontos, redução ou isenção de taxa de juros e até prazo para pagamento caso queira negociar a dívida outra vez.

Retorno ao contrato original

Uma nova negociação não será sobre o valor que você deixou de pagar no seu acordo, e sim sobre o contrato original com juros atualizados

Ou seja, apesar de todo o valor pago ser debitado da dívida total, ainda assim você pode sair no prejuízo por causa da atualização do valor e perda de condições de pagamento.

Cobranças

Seu telefone pode voltar a tocar com cobranças se o seu acordo foi quebrado. Como a dívida volta a ficar ativa, seu credor e empresas terceiras podem te cobrar, seja por ligações, SMS ou e-mails. 

Importante: a QuiteJá não faz cobranças por telefone, whatsapp ou redes sociais. Tome cuidado para não cair em golpes.

O que fazer se meu acordo foi cancelado?

O seu acordo foi quebrado, mas nem tudo está perdido, saiba o que fazer em seguida para quitar a sua dívida de uma vez por todas!

Busque fazer um novo acordo

Apesar das condições não serem as mesmas do acordo anterior, é muito provável que seu credor ou a QuiteJá te ofereçam uma nova oportunidade para negociar sua dívida.

Por isso, antes que sua dívida aumente até ficar impagável mesmo com descontos, busque fazer um novo acordo, seguindo os seguintes conselhos.

Analise sua capacidade de pagamento

Algo não deu certo com seu acordo cancelado. Antes de negociar sua dívida outra vez, avalie o que deu errado. Analise se foi um imprevisto financeiro ou se você escolheu uma proposta que não estava dentro da sua capacidade de pagamento.

Agora é o momento de aprender com o erro passado e definir um valor mensal ou para pagamento à vista que você pode cumprir. O ideal é não comprometer mais de 30% da sua renda mensal com o pagamento dessa dívida, ou seu orçamento pode ficar apertado demais e as chances de quebrar mais um acordo são grandes.

Comprometa-se com o pagamento

A negociação de dívidas é uma oportunidade de quitar a sua dívida com valores que cabem no seu bolso. Se não foi da última vez, não desperdice essa nova chance e se comprometa com o pagamento do acordo! Organize suas finanças e siga firme e forte até a quitação, para poder dizer adeus a essa dívida.

7 dicas para pagar seu acordo em dia

Como falamos no parágrafo anterior, é preciso comprometimento para manter seu pagamento do acordo em dia. Reunimos algumas dicas de como não ter mais nenhuma negociação cancelada.

Planeje suas finanças

Estar com dívidas é um sinal de descontrole financeiro. Por isso, é preciso colocar ordem na casa. Comece a fazer seu planejamento financeiro mensal, saiba quanto você ganha e quanto você gasta. 

Entenda quanto da sua renda você pode comprometer com sua prioridade financeira: a quitação das suas dívidas.

Você pode usar aplicativos de gestão financeira, uma planilha de gastos ou até o bom e velho caderninho de despesas. A forma não importa, o importante é planejar!


Quer ter uma planilha financeira incrível para controlar suas finanças? Baixe a sua aqui!

Controle gastos

Controle seus gastos para pagar em dia

Com base na dica anterior, descubra quais são seus gastos e entenda quais você pode reduzir ou evitar. Ainda mais em um momento delicado como a quitação de uma dívida, é importante controlar gastos desnecessários para que a parcela do acordo caiba no orçamento.

E não pense que você precisa atacar os grandes gastos, muitos deles são essenciais. Controle a vontade de comprar os baratinhos do dia a dia, como aquele lanche, cafezinho ou blusinha.

Tenha uma renda extra

Planejou suas finanças e percebeu que as parcelas do seu acordo não cabem no seu orçamento? Para não quebrar o seu contrato, é hora de buscar uma renda extra, mesmo que temporária.

Se você está sem ideias de como conseguir uma grana a mais no fim do mês, confira nosso texto com 50 formas para ganhar renda extra.

Não esqueça das datas de vencimento

Toda vez que você perde a data de vencimento, seu acordo corre um sério risco de ser cancelado. 

Por isso, mesmo que a QuiteJá mande lembretes e o boleto no dia do pagamento, anote essa data na sua agenda, calendário, aplicativo de tarefas ou até em um post it na geladeira.

Outra forma de evitar atrasar o pagamento é deixar o boleto impresso ou baixado antes do vencimento.

Pague assim que receber

Não espere o fim do dinheiro para pagar seu boleto. Assim que receber o seu salário ou outra fonte de renda, procure pagar todos os seus boletos, seja do acordo, contas da casa ou outras pendências.

Dessa forma, você prioriza o pagamento da dívida e controla os gastos durante o resto do mês para não acabar sem dinheiro.

Antecipe parcelas se puder

Você está em uma situação financeira mais confortável e sobrou um dinheiro? Tente antecipar parcelas do seu acordo, assim ele termina antes e você não corre risco de perder o vencimento.

Na QuiteJá, o próximo boleto é liberado assim que for confirmada a baixa do pagamento anterior. Caso você queira liquidar todas as parcelas restantes, entre em contato por atendimento@quiteja.com.br para verificarmos a possibilidade, pois isso depende do credor.

Não contraia novas dívidas

Durante um contrato de quitação de dívidas, é bom maneirar os gastos e evitar contrair novas dívidas. Por isso, use o cartão de crédito de forma inteligente, não entre no cheque especial e só faça empréstimos se for extremamente necessário.

Como a sua prioridade financeira é quitar o acordo da sua dívida, é preciso tomar cuidado para não comprometer seu orçamento.

Conclusão

Por mais que quebrar um acordo não seja o melhor dos cenários, também não é o fim do mundo, não é mesmo? Apesar das consequências, é possível fazer um novo acordo e quitar a sua dívida de maneira segura e descomplicada com a ajuda da QuiteJá.

Escolha seu novo acordo com sabedoria, dentro da sua capacidade de pagamento, e se comprometa a ir até o final dele para se ver livre da sua dívida de uma vez por todas.

QuiteJá

Analista de Conteúdo na QuiteJá

Posts Relacionados

Como investir dinheiro em 2021
Como investir dinheiro em 2021 e onde: renda fixa ou ações?
QuiteJá | 24/03/2021
como negociar dívida do FIES
Como negociar dívida do FIES e o que acontece se não pagar?
QuiteJá | 18/03/2021
Imposto de renda 2021
Imposto de renda 2021: quem deve declarar, como e quando
QuiteJá | 11/03/2021

Deixe o seu comentário!

Ir para o Topo